"ERRANDO DISCITUR" -

A tradução do latim para "ERRANDO DISCITUR" está ai:"É ERRANDO QUE SE APRENDE". Aqui está um blog para opiniões, informações,poesias e, principalmente, exposições de momentos diversos para comungar com amigos, alunos e ex-alunos.

sábado, 8 de julho de 2017

Flechado e fã de Arrow. Só assim não desisti da Netflix.

Entrei na febre da Netflix em fins de 2015. Compartilhei umas das telas com uns vizinhos e amigos (que racham até hoje a conta) e mal acessava, porém, após o início do ano-letivo de 2016 comentei com alguns estudantes e, a partir de então, raras vezes passei assistir algumas de suas produções.
Os estudantes sugeriram diversas séries e filmes, diversas vezes. Nunca procurei assistir nenhuma das indicações! Eis a verdade.

Creio que somente em meados de 2016 fiquei telespectador mais assíduo (e assim meio fiel) graças ao lançamento da série dos 'pirralhos', Stranger ThingsAssisti toda, a medida que cada episódio era lançado (e já aguardo segunda temporada prometida para outubro agora!). Já faz um ano que passou!
Após ela nada mais me interessou. 

Começou 2017, já não estava mais na escola que os estudantes sugeriam séries/filmes (e o pior: davam spoiller). Como minha memória é muito boa, lembrei de algumas sugestões. Então, nas férias de janeiro e nos feriados de Carnaval e Semana Santa, decidi assistir Scream (consegui assistir as duas temporadas sabendo quem eram os assassinos, mas spoiler não me irrita e nem me assusta, pois prefiro entender o enredo e os porquês de cada situação misteriosa que cria clímax e conclusão), depois comecei a me prender com Marco Polo (não consigo sair do 3º ep. da 1ª temp., uma vez que decidi vasculhar a história real da personagem central e tudo mais que meu ofício de Historiador pede). Prometi ver Revenge, Gotham e tantas séries sugeridas... Não fucei nenhuma! Rsrsrsrs

Precisava honrar os investimentos mensais na Netflix. Mas descobri minha rejeição e não tanta fixação em assistir. Era não ter Smart TV. Assistia pelo notebook e aquilo me incomodava, pois começava assistindo sentado, daqui a pouco deitava e...dormia!
Situação resolvida no aniversário de minha mãe em maio (coincidiu com o Dia das Mães neste ano!). Comprei uma Smart TV para ela e outra para mim. Como fico mais tempo na casa de minha mãe, tenho Wifi. Tudo resolvido. Mas e aí, tudo resolvido mesmo, não? Se eu decidir assistir em minha casa, irei recorrer a modem e cabo HDMI em notebook e colocar na TV, uma vez que não tenho internet/Wifi na minha residência. Vejo mais um motivo para ficar na casa de mamãe. Rsrsrsrs.

Voltando a saga Netflix...

Depois da Smart TV em fins de maio desse ano, sinceramente descobri uma série que me prende a cada fim de semana. A série Arrow (Arqueiro). Endoidei. Tornou-se sagrado o acompanhamento da mesma. Só não assisto quando tenho muitas outras ocupações prioritárias. E nem mesmo a TV a Cabo que coloquei no final de maio ou as coisas que vejo da TV aberta tomam as minhas atenções quando Oliver Queen domina meus pensamentos. 

Na Netflix ela tem até quarta temporada (até esse relato estou no 3º ep. da 2ª temp). Pois bem, o arqueiro me flechou. Além da beleza de Stephen Amell o que me prende é toda aquela ideia que eu conhecia da adolescência nos quadrinhos, que havia esquecido e nunca mais me interessou...  Incrível imaginar um herói nos moldes de Robin Hood (falo de usar arco e flecha, apesar que o arqueiro evoluiu nos recursos e tecnologia das suas armas) em pleno século XXI ser trilhado como Arrow. É coisa de ficção mesmo! Simples mas passou a me convencer.

Arrow passou a ser uma obrigação de fins de semana! O arqueiro, de acordo com os spoiler, vai se tornar repetitivo e com histórias diferentes da vingança que tratava a primeira temporada. Creio que não irei desapegar da série. Gosto. Acho que aquela frase dita pelo Oliver Queen/Arqueiro Verde me prende: "Você falhou com esta cidade!"




Nenhum comentário:

Postar um comentário